Estudo 1 - Fortalecidos no Senhor - #Recomeço

Estudos #RECOMEÇO
Fortalecidos no Senhor
Efésios 6.10
Pr. Laerte Tardelli Voss


O Congressão vai mexer com um assunto de adulto. Tirem as crianças da sala, porque o papo é sério: Batalha Espiritual. O Recomeço de que estamos falando é o Recomeço contínuo e inevitável que acontece do batismo até a morte na vida de cada crente. Um Recomeço de altos e baixos, quedas e vitória, sofrimentos e glória. Um Recomeço que nunca é soft, nem nos dá folga, mas diariamente nos convoca a enfrentar nosso(s) inimigo(s). Desde Satanás tentando Adão e Eva no Gênesis à épica batalha descrita no Apocalipse, a história do povo de Deus é acompanhada desta realidade de luta constante contra o mal. Isso pode até soar meio esquisito hoje em dia. Ou porque a gente é meio cético a este conflito interno e sobrenatural, ou porque vemos uma galera exagerando na dose e tratando o tema como um instrumento de manipulação das massas. Ainda assim, fugindo dos extremos de ceticismo e obsessão, cremos que está mais do que na hora da JELB encarar e estudar em seu maior encontro o assunto. Nosso pai Lutero o valorizava. O Hino Castelo Forte é a maior prova disso. Ele vivia dia-a-dia consciente destas batalhas e chegou a dizer que elas são o principal recurso que o Espírito Santo usa para trabalhar a fé na vida do cristão.


O texto que escolhemos para orientar nossa reflexão é Efésios 6.10-18. E nos próximos meses trataremos de cada um destes 9 versículos, com o objetivo de chegarmos todos em Sumaré – com o perdão do clichê – afiados e armados até os dentes, respirando estas palavras do apóstolo Paulo e cheios de expectativa pelo que vamos ouvir, debater, aprender e compartilhar lá. Hoje, além desta pequena introdução, queremos começar aprofundando o versículo 10, que diz:


“Quanto ao mais, sejam fortalecidos no Senhor e na força do seu poder.”


Paulo começa escrevendo “quanto ao mais”. Quer dizer, ele agora vai mudar o rumo da conversa e entrar num ritmo de conclusão. “Quanto ao mais” também é uma expressão que conecta o que ele tinha escrito antes com o que ele escreveria a partir de então. E o que ele tinha escrito antes? Se quisermos fazer o exercício (vale a pena!), veremos que Paulo estava falando do que Deus está fazendo para consertar a bagunça do universo. No capítulo 1, ele escreveu que a desordem causada pelo pecado está sendo resolvida por Jesus, começando na sua obra na cruz até quando for coroado rei sobre todas as coisas seu retorno. Nos capítulos 2 e 3, somos informados que através do sangue de Cristo, Ele traz o Reino de Deus para nossas vidas. Nos capítulos 4 e 5 e 6, numa pegada mais de aplicação prática, Paulo aborda como a gente vive a vida cristã no dia-a-dia. Ele fala de um monte de coisa bonita. De como a fé em Cristo nos convida a ver o mundo de forma diferente, a nos relacionarmos com as pessoas de forma diferente, de como a nova vida que o Espírito Santo nos dá transforma cada área de nossa existência: nossos relacionamentos nossa família, nosso trabalho, e por aí vai. Então, ao invés de dizer, “Ok, gente, já escrevi suficiente... Até qualquer dia... Um abraço do irmão Paulo”, ele conclui a carta com o tal “quanto ao mais”. E ele não podia fazer diferente. Esse “quanto ao mais” está ali porque Paulo não pode enviar os leitores da carta de volta para casa para recomeçarem sem prepará-los para as dificuldades que vão aparecer. É como se estivesse dizendo: “Quanto ao mais, já estava quase me esquecendo de lhes dizer, vocês vão entrar em território hostil. Enquanto vocês estiverem se relacionando, estudando, trabalhando, vivendo a vida cristã, estarão levando bala do(s) inimigo(s), de todos os lados”. É a natureza bélica da vida cristã.


A segunda parte do versículo 10, Paulo usa para dar um conselho que é, ao mesmo, tempo, orientação, mas especialmente consolo, escrevendo, “sejam fortalecidos no Senhor e na força do seu poder”. O que ele está fazendo? Antes mesmo de começar a dar informações sobre como é exatamente esta batalha espiritual, contra quem lutamos e qual é nosso papel e os nossos recursos no conflito (informações que ele dará nos versículos seguintes), Paulo escreve sobre estar fortalecidos no Senhor, na força do seu poder. Ele coloca na base de tudo, como o dado mais importante a ser comunicado, esta verdade sobre batalha espiritual: não estamos, não devemos, nem precisamos ir à luta sozinhos. Temos uma fonte inesgotável de força à disposição, para dinamizar-nos, empoderar-nos, e deixar-nos prontos e habilitados para qualquer enfrentamento. Essa força é e está no Senhor: seu amor, sua graça, seu perdão, sua proteção, sua presença, sua obra. Paulo está falando de Jesus aqui. Ele é o nosso comandante. O guerreiro que já lutou contra o mal e o venceu. Este é o segredo vital sobre batalha espiritual. É disto que a igreja de Éfeso e nós precisamos saber, acima de todas as coisas. A guerra é do Senhor, antes de ser nossa. E tem mais, já foi vencida. Nossa luta é realizada na certeza de que Jesus Cristo já venceu com sua vida, morte e ressurreição, o(s) nosso(s) inimigo(s). Nossa luta é realizada na certeza de que não estamos desacompanhados no campo de batalha, mas nosso General está lá também. E que quando somos fracos, Ele é forte por nós, aperfeiçoando seu poder justamente em nossas fraquezas (2 Coríntios 12.9).



Para refletir / conversar:



1. O que sei sobre batalha espiritual? Quais textos bíblicos, histórias de cristãos e experiências pessoais conheço que têm a ver com o assunto?


2. Estou mais entre os que são céticos a esta realidade de luta contra o mal ou entre os que superdimensionam e super se preocupam com isto? Explicar.


3. Por que será que Lutero entendia as batalhas espirituais no seu aspecto positivo, como pedagogas da fé, como recursos para trabalhar nossa firmeza na confiança e nosso caráter cristãos?


4. O que entendo por estar fortalecido no Senhor e na força de seu poder?


5. Por que Paulo escolheu escrever isso “de saída”, já no começo de seu ensino sobre batalha espiritual? Que diferença pode fazer em nossa atitude começarmos nosso estudo com esta informação?


6. Compartilhe, se sentir confortável, alguma batalha espiritual que você esteja enfrentando no momento. Ouça os demais. Conclua com uma oração sobre isso.


Baixe o estudo completo em word

Gostou? Compartilhe

Talvez você goste também

Fale com a gente

Olá! Envie sua mensagem. Ficaremos felizes em conversar com você.